Geyser El Tatio – Chile

27/06/2010 às 12:53 pm


3:00 AM – o despertador toca, está na hora de acordar para ir visitar o Geyser El Tatio, um lugar muito especial nesse planeta, que segundo a Wikipédia, é uma das melhores atrações do deserto do Atacama. Localizado na bacia geotérmica que leva o mesmo nome, a 129 quilômetros ao leste da cidade de Calama e 90 quilômetros ao norte de San Pedro de Atacama, a cerca de 4.320 metros de altitude.

Pois é, 90 km ao norte de San Pedro, local onde estávamos. Mas… Por quê acordar tão cedo?

  1. Porque a estrada é ruim e levaríamos 4 horas para chegar – 4 horas para andar 90km, isso significa uma velocidade média de 22km/h durante 4 horas sacudindo dentro da van. Perreng…
  2. Porque a melhor hora de chegar lá é às 8:00, não sei o porquê. Mas suspeito de que seja porque os geysers estouram quando chega o Sol devido ao aquecimento que o mesmo proporciona.

Bom, só sei que enquanto tomávamos café da manhã com chá de coca ao invés de café com leite (dizem que é bom para se acostumar com a altitude), às 4AM a van chega na porta do hotel, com cerca de mais 14 gringos dentro; dentre eles americanos, japoneses e brasileiros. Então partimos!

Horas de sono perturbado passam-se ali dentro, apoiando a cabeça no monopé; até que o piloto coloca no seu celular uma música: Pink Floyd – Shine on You Crazy Diamond.

Ao acordar com o mantra dos deuses das montanhas, olho pro lado e: MEU DEUS. Vejo uma das paisagens mais bonitas que já vi na minha vida, logo às 6:40 da manhã:

Na foto parece pequeno, mas isso é imenso…

Já estávamos quase chegando, então continuamos em direção aos atores principais do passeio, os Geysers. A temperatura era -11° C e a dor de cabeça era chatinha; mas era tudo compensado pela beleza do que víamos. Mais 30 minutinhos de van e pimba, estacionamos. Logo que posso, saio da van com a câmera – que coberta por uma proteção contra o frio – captara algumas imagens, dentre elas:

A luz do Sol entrando, do outro lado da montanha é a fronteira com a Bolívia

Fisheye, pra que te quero!

E CLARO, que eu não podia deixar de fazer um stop motion lá em cima.

LOL

Buni com Dorflex na mão, cheia de dor de cabeça por causa da falta de pressão atmosférica, tadinha =/

Não pode chegar muito perto da fumaça porque ela contém uns gases vulcânicos que são tóxicos, tipo enxofre. Mas também nem me atrai chegar perto de um troço desses, vai que me engole! O maior dos geysers é conhecido como Geyser da Comunidade Européia, pois já caíram lá dentro 3 gringos que moravam na Europa – morte súbita. Bom, deixando as curiosidades de lado, essa última foto já foi tirada as 8 da manhã, quando estávamos indo embora pra visitar outro lugar, as águas termais. Que são umas piscinas naturais com água quente. Entrar deve ser delicioso, mas sair…

Águas termais: -10°C do lado de fora a +40°C do lado de dentro, eu é que não entro aí nem se me pagassem mil cinqüenta dólares!

Na van de volta pro hotel vimos algumas coisas legais também, e deu pra fazer essas fotos no quentinho de dentro da van, com a 70-200. Mas não deu pra muito, porque eu estava morto de sono e voltei dormindo – novamente usando o monopé de travesseira.

Não é poética?

Lago congelado, com patinhos em cima se alimentando, pode isso?

Espero que tenham gostado, tanto das fotos quanto da historinha, até mais!


  • Buni

    viagem incrivel =)

  • http://www.quitutesblog.blogspot.com Kel

    adorei a dancinha,rs rs rs!